Página:Diccionario Bibliographico Brazileiro v1.pdf/287

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
262
AN

- Breves ápontamentos acerca da modedura das serpentes e das picadas de insectos venenosos - Vem na Gazeta medica da Bahia, tomo 30 , 1869, ns. 61 e 64. - Parecer do medico do asylo dos expostos - Idem, tomo 40,. 1870, n. 93. Versa sobre as causas da c;rande mortalidade doa expostos, e sobre as medidas que c~nvem serem de prompto abraçadas, Antonio Marqu~s Rodrig'ues - Filho de Francisco Marques Rodrigues e de dona Josepba Baptista Peraira, nasceu na cidade de S, Luiz do Maranhão a 15 de abrjl de 1826, e falleceu em Avintes, reino de Portugal, n'um antigo solar que ahi possuiam seus paes, a 14 de abril de 1873, Em idade ainda tenra foi para Portugal, onde fez seus estudos primarios e os de humanidad~s, demorando ahi dez annos, e depois de uma excursão pela França e Inglaterra, voltou ao' Brazil e matriculou-se na faculdade de direito de Olinda qu lhe conferiu o grau de bacharel. Foi professor de historia natural do lyc:lU de S. Luiz, official-maior da secretaria. do tribunal do commercio, deputado provincial pOI' diversas vezes e presidente da assembléa; era membro correspondente do instituto archeologico pel'nambuoano, cave.lIeiro da imperial ordem da Roza, e da de Nossa Senhora da Conceição da Villa Viçoza de Portugal, e escrev.eu diversos artigos, quer m proza, quel' em verso, desde estudante da faculdade, no Cidadão, no Diario de Pernambuco e em alguns periodicos de lettras, sendo do numero de taes artigos as seguintes poesias : - Nove de dezembro ; A revista nocturna, imitação de Zedlitz j O Brazil j O rouxinol: poesias lyricas - publicadas no Panorama, Lisboa, 1855. O grande escríptor portuguez Alexan~re HeI'culano disse, referindo-se a Marques Rodrigues: « Parece-me que no senhor Marques Rodrigues terá em breve o Brazil mais um poeta distincto. Antevel-o é para mim altamente aprazivel, porque folgo com tudo o que póde contribuir para a grandeza e gloria de um paiz, no qual tenho, como esoriptor, encontrado tanta benevplencia, como a que posso dever aos meus proprios concidadãos. »Uma destas poesias, o Brazil, vem reproduzida no Almanak de lembranças brazileira'l do doutor Cezar Marques, anno 20, 1866, e antes disso no periodico Commercio. Termina ella com os seguintes versos : E virgens, e homens, e bosques e mares, E tudo que vive na terra, nos ares, E' bello, é sublime no patrio Brazil. Azul ó o céo, as florestas frondozas, Valentes os homens, as virgens mimozas, E as verdes palmeiras viçozas a mil I - Rodolfo ToplTer: esboço critico-litterario, Recife, 1855. - I ntroducção do obra Manual do plantador de algodão, por Turner, traduzido do inglez pelo doutor J. Ricardo Jauffratt. Maranhão, 1859. - As tl'es lyras: poesias dos bachareia' Trajano GaIvão de Oarvalho,.