Página:Diccionario bio-bibliographico cearense - volume segundo.djvu/158

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


José Luiz de Castro—Filho de Luis Xavier da Silva Castro e D.a Luisa Xavier Guimarães, nasceu em Fortaleza a 15 de Abril de 1880. Estudou humanidades no Collegio dirigido pelo Padre Liberato Dionisio da Costa, sendo approvado com distincção em todos os exames do curso, e mantendo-se» sempre, nos primeiros logares da respectiva turma. Em Março de 1894, matriculou-se no Lyceu do Ceará, que frequentou até princípios de 1895, quando abandonou os estudos, para se empregar no commercio, como ajudante de guarda-livros da casa Joaquim José d’Ohveira & C.*, antiga Livraria Oliveira. Entrando para a «Phenix Caixeiral», fez exame de es- cripturação mercantil, obtendo distincção. Na presidência de Antonio Ivo de Mattos, foi elle con¬ vidado para secretario da «Phenix», cargo de que se demittiu mais tarde. Aos quinze annos, começou a collaborar no Charuto, a convite de José dos Santos, escrevendo ahi uma secção humorística e pouco depois encetou no jornal literário Ba¬ luarte a publicação de uma novella, que não concluiu. Com Hermes Tupinambá e Luis Paula Lima, seus com¬ panheiros do Lyceu, fundou, talvez em fins de 1897, o Belecho, jornalsinho critico, de que os redactores eram tam¬ bém os compositores e impressores. Convidado por Fernando Weyne, collaborou no Bu- hcmio e no Seculo XX. Em 1901 fundou o Intransigente, pondo lhe, na fron- taria, a seguinte diviza: Para os simples e para os bons. Os primeiros números são, exclusivamente, da sua penna. Mais tarde, veio auxilial-o nesse jornal o seu antigo companheiro de lides da imprensa, o talentoso e mallogrado poeta Fer¬ nando Weyne. Além dos jornaes citados, escreveu na Reforma, Correio da Semana, Ceará Acadêmico e alguns outros jornaes de Fortaleza, no Oitenta e Nove, de Baturité, no Commercio do 146 Digitized by Google Original from UNIVERSITY OF CALIFÓRNIA