Página:Diccionario de botanica brasileira.djvu/25

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
XIX


getaes destinados sem duvida a uma proficua applicação na industria futura do paiz, assim como não é menos urgente attender desde jà á creação de escolas agricolas, nas principaes provincias, devendo n'essas escolas ensinar-se a agricultura theorica e pratica, afim de que os agricultores percam a pessima rotina, a que estão acostumados, e que se habilitem a tirar maiores vantagens d'esta tão rica e prodigiosa vegetação.

É necessario todo o cuidado na conservação das mattas do Páo Brasil, e estender a sua plantação a uma grande escala.

É mister repetirem-se constantemente os plantios; escolherem-se sementes de algodão, de canna, chá, café e quina, e de muitas outras arvores, como se praticava nos tempos em que éramos colonos, e de que ainda hoje tão bons resultados colhemos. Facilmente se faria hoje este serviço por meio dos navios de guerra, que nas suas viagens de instrucção podiam trazer excellentes mudas de sementes: pois o nosso solo abraça qualquer planta exotica.

Na compilação d'esta obra tivemos de consultar as dos Srs. Martius, St. Hilaire, Dr. Moreira, Chernoviz, Dr. Ladisláo Netto e outros.

Terminando esta breve e incorrecta introducção, declaramos, para evitar duvidas, que todo o nosso trabalho consiste simplesmente na ampliação e, em muitos pontos, correcção da obra inedita, deixada pelo finado e illustre Dr. Arruda Camara, na qual trabalhamos ha bastantes annos.

A obra do Dr. Arruda Camara precisava de uma melhor redacção, os seus artigos eram incompletos, deficientes, obscuros e sem ordem. D'ahi sahio o presente Diccionario; e julgue-se por elle da difficuldade e esforços da nossa empreza.

Não vai esta obra illustrada com maior numero de desenhos, representando mais algumas arvores e arbustos, em razão das dificuldades que encontramos para photographal-os, sendo devidos os originaes das poucas estampas, que illustram o Diccionario de Botanica Brasileira, ao talento e actividade do nosso distincto photographo o Illm. Sr. João Ferreira Villela, bem como ao Illm. Sr. Joaquim Francisco Bastos, que graciosamenta se prestou a dar-nos um grande numero de copias, habilmente desenhadas a lapis.

A ambos damos publico testemunho de nossa gratidão.