Página:Dom João VI no Brazil, vol 2.djvu/449

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


DOM JOAO VI NO BRAZIL 1013

culo XVI dotara de tanto valor e estimulara tanta virtude entre a combativa milicia jesuitica, tudo concorria para o desregramento do clero, contra o qual em vao reagia tenaz- mente o respeitavel bispo do Rio, D. Jose Caetano de Souza Coutinho, prelado de merito pela conducta exemplar e pelo zelo apostolico, e homem de boas lettras, familiar com os classicos latinos e os bons auctores francezes.

Este e outros perdiam muito o sen tempo, e caso de dizer o seu latim. A libertinagem distinguiria tanto o clero da Independencia quanto o liberalismo. Frej^cinet refere que muitos dos frades nedios e bem tratados que elle via de dia mettidos nos seus severos habitos monasticos, envergavam a noite trajes seculares para sahirem a cata de aventuras de amor, e que no seu aspecto mui pouca humildade havia em qualquer occasiao, affectando um ar antes marcial que con ventual e primando a altaneria a piedade. Elles eram en-

i

tretanto um elemento necessario da populacao porque, si ja nao representavam a fe em toda sua pureza, ainda represen- tavam a intelligencia na sua suggestiva expressao.

As ultimas grandes festas da realeza brazileira foram, em 1819, as do baptizado da Princeza Maria da Gloria. Um cortejo vistoso como os anteriores cruzou o mesmo ta- blado do largo do Pac^o entre o palacio e a capella; orches tras em abundancia tocaram as mesmas musicas alegres e vibrantes ; illuminacoes e fogos de artif icio como os outros langaram os mesmos claroes rubros e jubilosos. Era a apo- theose final. Em 1820 a revolugao estalava em Portugal e vencia: uma revolugao que era anti-brazileira, assim como fora uma revolucao anti-portugueza a debellada sedic.ao pernambucana de 1817.

�� �