Página:Espontaneidades da minha alma.djvu/77

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

— 77 —

Deixa que prestes
Teu trovadôr
D’insana dôr
Vá a morrer!

Porém se queres
Que elle viva
Chamma altiva
Vae-lhe acender

Dá-lhe o amor
Porque delira,
E só suspira
Até morrer! —





N’UM ALBUM.


Estrela luzente dos bens primorosa
Um raio dos teus mui fagueiro e brilhante
Grava em minh’alma qu’aspira amorosa
Effluvios d’amor — que jurastes constante!
Nem Anjos — nem flôr — nem dos bosques cantôr
Igualam teu riso donoso e fragrante —
Ah! — dá-me esse riso em troca d’amor!....



Espontaneidades da minha alma, flourish, 29.png