Página:Evocações.djvu/60

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
58


Ó doce abysmoestrellado, nirvana somnambnlo, taçanegra de aromas quentes, onde en bebo o elixir do esquecimento e do sonho! Como eu amo todas as tuas magestades, todas as tuas estrellas, todos os teus ventos, todas as tuas tempestades, todas as tuas formas e forças! Como eu sinto os perfumes que vem das grandes rosas mysticas dos teus Maios; os effluvios vibrantes, cândidos e finos dos teus Junhos; o grasnar dos teus abutres e o claro bater das azas dos teus anjos! Como eu aspiro sedento todos esses cheiros salgados do mar dominador, essa vida aromai das folhagens, das selvas reverdecidas com os teus orvalhos revigoradores, com a tua esquiva castidade mysteriosa!

Ah! como eu te amo. Noite! Como a tua eloquência muda me falia, me impressiona e me chama, Apparição seraphica, fabulosa irmã do Cháos e das Legendas!