Página:Fabulas de Esopo.djvu/109

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
109
DE ESOPO.

não te entender o caçador; pelo que nada te devo, antes se bemdigo a tua lingua, amaldiçoo tua cabeça, que tanto fez por me descobrir.

MORALIDADE.

Notão-se nesta Fabula os que do mal que urdírão, ainda que não teve effeito, querem tirar agradecimentos, e mostra-se quanto perigo seja quererem os homens em seus trabalhos valer-se de seus inimigos; que quando são muito fieis e primorosos, cuidão que satisfazem com se mostrarem neutraes.