Página:Fabulas de Esopo.djvu/139

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
139
DE ESOPO.


huma occasião de o destruir, e como póde e quer, faz tudo a seu salvo.


FABULA LXVII.


O Veado e o Caçador.

Bebendo o Veado em huma ribeira, vio seus cornos, ramos e as pernas delgadas: parecêrão-lhe as pernas mal e ficou pesaroso de as ter, e por outra parte tão satisfeito da formosura dos cornos, que se fez soberbo de contente. Ainda bem não sahia da agua, quando dá sobre elle hum Caçador. Foi-lhe forçado valer-se dos pés, que pouco antes despresara, e elles o punhão em salvo. Mas entrando por hum arvoredo basto, embaraçárão-lhe os cornos com