Página:Fabulas de Esopo.djvu/23

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
19
DE ESOPO.

obriguei a beber o mar, mas não a multidão de rios, que entrão nelle; por tanto se querem que eu cumpra o que fiquei, he forçoso que elles primeiro impidão a corrente de quantos rios fazem para aqui seu curso. Não souberão responder os discipulos a isto, e o povo louvou muito a resposta do Philosopho, e todos o derão por livre da aposta, e tornou para casa mais acreditado que d’antes. Outros muitos casos succedêrão a Esopo com Xanto, que deixo por brevidade, até que veio a ser livre, e governar a Samos, onde compoz em lingua grega este volume de Fabulas.

Depois, como o Rei Creso de Lydia quizesse conquistar Samos, por seu