Página:Fabulas de Esopo.djvu/81

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
81
DE ESOPO.


pois não fazem cousa alguma, como são certos fanfarrões, que se jactão de valentes, e a poder de juramentos o querem parecer. Outros que gabão suas letras e livros que hão de compôr, mas quando vem a joeirar-se a valentia de huns e a sciencia dos outros, tudo he joio; pelo que com razão fica quem os conhece rindo e escarnecendo delles, como na Fabula se diz que os homens fizerão do parto da Terra.


FABULA XXXIII.


O Galgo velho e seu amo.

A hum Galgo velho, que havia sido muito bom, se lhe foi huma lebre d’entre os dentes, porque já os não tinha.