Página:Flora pharmaceutica e alimentar portugueza.djvu/22

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


14 floua phamaceutica tegerrinias , e por isso alguns 'Botani^ cos consíderao esta planta como espé- cie nova^ c lhe dão o nome de G. linifo- lia , 7nas as propriedades são as ynes- mas , e parece ser unicamente varie- dade. ORDEM 2.» Digynia, Anthoxanthum, Calyx; Casulo bivalve, unifloro; a válvula in- terior maior corolla bivalve , aristada ; pra- gana curvada para fora nectario de dous fo- liolos. 34. A. amarum. ^m Port. Feno de cheiro amar- goso. Panicula em forma de espiga , alongada , quasi lanceolada ^ pedicellos felpudos ; folhas de côr verde-mar, d'ambas as partes glabras , lizas; bainha hum tanto áspera j pragana da corolla hum pouco mais comprida que as válvulas do calyx j nectario adherente á semente ; raiz no- dosa-bolbosa. Pharm. colmo e folhas. Raiz perenne, fibrosa na planta nova, fibras bran- cas j depois engrossada em noz bolbi formes, de baixo dos colmos:, e finalmente reptante, ain- da que por pequeno espaço. Colmos: muitos, dos noz radicaes, levantados, roliços, fistulosos, 3 ou 4 geniculados , de hum