Página:Flora pharmaceutica e alimentar portugueza.djvu/25

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


E ALIMENTAR PORfUGUEZA. f^ me da semente , á maneira de crusta , e lhe servem de tegumento, ficando o calys, e co- rolla laxos , e desapegados delia. Habita nos terrenos hum tanto raros , húmidos , ou frios dos valles e collinas da Beira-alta, e entre Douro e Minho, e também em Villa- Franca perto de Coimbra. Floresce em Abril e Maio. Graminea perenne. Cheiro agradável j sabor amargo. Bstas propriedades fazem dar a esta. espécie hum lugar nos CataloQ-os de Matéria medica , não obstante não se achar até agora nos livros que tratão deste ramo de Medicina; por isso co- piei aqui a sua descripção da Phyto^ graphia do Doutor Brotero; segundo a. optmao deste Botânico , iião obstante a. afinidade das suas folhas com as do A. odoratum , ella constitue huma es- pecie distincta , não só por todo o ha- bito maior , mas também pelas folhas lisas ^ de hum elegante verde-mar e algumas de verde-flavo, grande amar^ go das suas folhas e colmos ^ raiz no- dosa-solbosa ^ sendo a raiz de todas as variedades do A. odoratum , que elle conhece em Portugal , annual e fibrosa.