Página:Flora pharmaceutica e alimentar portugueza.djvu/55

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


E' ALIMENTAR POTlTUGUI^ZA. '47 Corollas qiin.si iguaes ao calyx, lacinias quasi re- dondas, dilatadas; folhas lanceoladas , cotani- Ihosas; as superiores cordiforraes. Habita frequente pelos caminhes, nas ruínas dos edifícios, e nos montes pelos arredores de Coim- bra , e outras partes na Beira" e Extreraadura. Floresce na primavera. Annual. Dtifere do C. officinale, com o qual tem muita ajjjnidade , ítas folhas caulinas não estreitas jta base , ynas cordifor- • ■ 7nes , na corolla pintada de veios pttr- pureos , sendo priyneiramente pallida.

1. C; clandestiniim. Cynoglossa /de flor fecJrada.
. .Folhas lanceoladas, as inferiores pecioladas, as

-superiores rentes, arredondadas na base; co- rollas iguaes ao ca lyx, lacinias fechadas, ex- teriormente hirsutas no topo , interiormente cobrindo ás antheras e as escamas- mais curtas que as mxsmas lacinias. Habita nos subúrbios de Lisboa pela borda dos caminhos, e dos campos. Floresce desde Ja- neiro até Março. Biennal. Esta espécie tem muita affinidade com o G. officinale, pictum , e raontanum : os llervolarios , e Boticários de Lisboa confundem-na com o C. officinale : os gados , inclusivamente as cabras , a deixão intacta. Tudo o que fica dito me communicou por escrito o Doutor Brotero , e outras particularidades a. respeito da sua virtude , que não per- tencem a este escrito.