Página:Flora pharmaceutica e alimentar portugueza.djvu/63

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


E ALIMENTAR PORTUGUEZA. $'5' Estas dííãs espécies , q^ue Linneo reputou Dãriedades da P. vcris, tem sido am- bas recebidas nos Dispensatorios phar- maceuticos ; mas a primeira deve ter a preferencia ; 'visto cpíe a segunda não he abonada pelas suas proprieda- des como medicamento ; por esta ra- zão epela mutua substituição os Médi- cos tem enunciado differentes juizos a respeito da sua potencia. Os nossos Médicos e Boticários as distiniruirão muito bem pela ãiscripção circuynstan^ ciada que dou da primeira , e pela maior estatura de todas as partes da segunda , visto crescerem ambas no terreno Portuguez, N, B. Os nossos hervolarios cm lugar da primeira espécie costumao colher e ven- der a Primula acaulis , quejadilho j que alguns julgao ser variedade delia, ou de elatior , mas que o Doutor Brote- ro pensa ser espécie diversa , porque as suas corollas são vastas e aplanadas , a orla do calyx muito aberta , as suas flo- res não são dispostas em um.brella ordi- nariamente ; mas solitariamente postas em pedúnculos radicaes , e quando são umbrellados , o que he raríssimo-, a ^ hastea he muito mais curta do que os pedúnculos da umbreila^ e estes são mui- to acenosos.