Página:Flores do Mal (1924).pdf/158

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O brilho e o fulgor
Dos teus olhos, flor,
Quando orvalhados de pranto.

Lá, tudo é paz e harmonia,
Luxo, beleza, magia!

Móveis sumptuosos,
Antigos, lustrosos,
Nossa alcova adornariam;
As mais belas flores
Seus meigos olores
Ao ámbar misturariam;
Cristaes e brocados,
Tectos decorados,
Um esplendor oriental,
Tudo falaria
Á alma erradia
A sua língoa natal.

Lá, tudo é paz e harmonia,
Luxo, beleza, magia!

Nas ágoas dormentes,
Não vês, indolentes,
Barcos de humor vagabundo?
Para te servir,
Prontos a partir,
Vieram do fim do mundo.