Página:Historia e tradições da provincia de Minas-Geraes (1911).djvu/67

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


que produzia em qualquer parte, onde chegava, os cumprimentos e homenagens de que se via rodeada em qualquer reunião que se achasse, a inveja das outras moças, os rumores, que lhe chegavam aos ouvidos quando rompia alguma multidão – que linda moça! – que prodí­gio! – é um anjo!... é um sol! – tudo a confirmava na convicção de que era a mais bela dentre as belas.

Uma moça com tais predicados, rica e bem educada, não podia deixar de agradar por toda a parte, de render todos os corações, e se Eduardo por ora só lhe falava com fria polidez, e a olhava com indiferença, era provavelmente porque o seu estado de extrema debilidade ainda não lhe permitia observar nem sentir nada, principalmente na alcova escassamente alu­miada em que se achava recolhido.

Estas idéias e sentimentos formulavam-se no espírito de Paulina, não assim limpa e distintamente como as vamos for­mulando à maneira de cálculo; eram idéias e sentimentos con­fusos, palpites e aspirações, que lhe ondeavam na alma, como os vapores transparentes da aurora ondeando na valada ao sopro das brisas matinais.

Assim se passaram alguns dias. Eduardo, graças à sua boa compleição, e aos extremosos cuidados e desvelado tratamento, que lhe dispensavam seus hóspedes,