Página:Iracema - lenda do Ceará.djvu/29

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
– 9 –

solitaria que vinha alongando-se pelo valle fora.

Quando os viajantes entrarão na densa penumbra do bosque, então seu olhar como o do tygre, afeito ás trevas, conheceo Iracema, e vio que a seguia um jovem guerreiro, de estranha raça e longes terras.

As tribus tabajaras, d'alem Ibiapaba, fallavão de uma nova raça de guerreiros, alvos como flores de borrasca, e vindos de remota plaga ás margens do Mearim. O ancião pensou que fosse um guerreiro semelhante, aquele que pisava os campos nativos.

Tranqüilo, esperou.

A virgem aponta para o estrangeiro e diz:

— Elle veio, pai.

— Veio bem. E' Tupan que traz o hospede a cabana de Araken.

Assim disendo, o Pagé passou o caximbo ao estrangeiro; e entrarão ambos na cabana.

O mancebo sentou-se na rede principal, suspensa no centro da habitação.

Iracema, accendeo o fogo da hospitalidade; e trouxe o que havia de provisões para satisfazer a fome e a sede: trouxe o resto da caça, a farinha