Página:Laura de Anfriso.djvu/7

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


LICENÇAS.

V

I por mandado do Illuſtriſsimo ſenhor Biſpo Dom Fernão Martins Maſcarenhas Inquiſidor Geral, eſte liuro intitulado, Laura de Anfriſo, compoſto por Manoel da Veiga Tagarro Portugues, & nelle não ha couſa contra noſſa Santa Fee,& bons cuſtumes. Té muita erudição nas letras humanas, & diuinas, muita philoſophia encuberta com ficções Poeticas em que o Autor com ſingular engenho copiou o mais ſubſtancial da poeſia Latina com particular habilidade,& ſuauidade,parecendo mais Porta natural, que artificial,guardando o decoro às materias,& ornando cadaqual com elegancia,& grauidade cõ iguoal propriedade de palaura,& termos que lhe he deuido,& emfim me parece que he o Autor o que conuinha para tal aſſumpto pois a grandeza delle merecia tão grande talento. Pello que julgo que ſaindo eſta obra a luz a dara não pequena aos claros engenhos para emprenderem ſemelhantes obras,& ſe exercitarem neſta diuina arte da Poeſia como lhe chamou hum graue Autor,poſto que de alguns pouco eſtimada,& menos fauorecida.Em São Domingos de Lisboa em 12.de Feuereiro de 626.

Fr. Thomas de S. Domingos
Magiſter.

V

Iſta a informaçaõ podeſe imprimir eſt liuro,& depois de impreßo tornara conferido com o original para ſe dar licença parra correr,& ſem ella naõ correra. Lisboa 15. de Feuereiro de 626.

O Biſpo Inquiſidor Geral.

I

Mprimaſe:Euora 15. de Março de 1627.

D. Fr. Manoel Biſpo de Fez.