Página:Lisia poetica v3-4.djvu/129

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
123
OU COLLECÇÃO DE POESIAS MODERNAS.


Eliza, por tua causa,
Passo triste a vida assim;
Não m’escutas? oh! responde,
Nunca mais t’ouvirei — Sim?

A minha lyra é só tua,
É só teu meu coração;
Nem assim tens dó dos tristes?
Chorando me disse — Não!

Ai choras! agora vejo
Qu’inda tens pena de mim!
Com as lagrimas nos olhos
Dar-me-has agora o — Sim?

Não responde; mas par’ceu-me
Que lh’ouvia o coração,
Procurando, mas debalde,
Repetir-me outra vez — Não!


Luiz Augusto Xavier de Palmeirim.


_________


UM RISO D’ELLA.


Ah! si j’avais des paroles,
Des imagens, des symboles,
Por peindre ce que je sens!
Lamartine. Harm. XIII.



De seus labios terno riso
Me transporta ao paraíso,
Me acende n’alma um volcão;
Mas se é dado com desdem,
Sou qual a murcha cecém
Ao poder do furacão.