Página:Mensagem.djvu/27

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Mas todo vivo é eterno infante
Onde estás e não ha o dia.
No antigo seio, vigilante,
De novo o cria!

[ 23 ]