Página:Mensagem.djvu/38

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


QUARTA

D. JOÃO. INFANTE DE PORTUGAL



Não fui alguem. Minha alma estava estreita
Entre tam grandes almas minhas pares,
Inutilmente eleita,
Virgemmente parada;

Porque é do portuguez, pae de amplos mares,
Querer, poder só isto:
O inteiro mar, ou a orla vã desfeita —
O todo, ou o seu nada.

[ 34 ]