Página:Obras completas de Fagundes Varela (1920), I.djvu/122

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
— 110 —


O VIZIR

— Não derribes meus cedros! murmurava
O genio da floresta apparecendo
Adiante de um vizir, senão eu juro
Punir-te rijamente! E no emtanto
O vizir derribou a santa selva!
Alguns annos depois foi condemnado
Ao cutelo do algoz. Quando encostava
A cabeça febril no duro cepo,
Recuou aterrado: — Eternos deuses!
Este cepo é de cedro! E sobre a terra
A cabeça rolou banhada em sangue!