Página:Obras de Manoel Antonio Alvares de Azevedo v1.djvu/160

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


NO TÚMULO DO MEU AMIGO
JOÂO BAPTISTA DA SILVA PEREIRA JÚNIOR


Perdão, meu Deus, se a túnica da vida...
Insano profanei-a nos amores!
Se da c'roa dos sonhos perfumados
Eu próprio desfolhei as róseas flores!
 
No vaso impuro corrompeu-se o néctar,
A argila da existência desbotou-me...
O sol de tua gloria abriu-me as pálpebras,
Da nódoa das paixões purificou-me!