Página:Obras de Manoel Antonio Alvares de Azevedo v2.djvu/275

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


na loucura ou abisma-se no fatalismo ou no nada.

Penseroso: Não!Não é o filosofismo que revela Deus. A razão do homem é incerta como a chama desta lâmpada: não a excites muito, que e a se apagará.

Macário: Só restam dois caminhos àquele que não crê nas utopias do filósofo. O dogmatismo ou o ceticismo.

Penseroso: Eu creio porque creio. Sinto e não raciocino.

Macário: Talvez seja a treva de meu corpo que escureça minha alma. Talvez um anjo mau soprasse no meu espírito as cinzas sufocadoras da dúvida. Não sei. Se existe Deus, ele me perdoará se a minha alma era fraca, se na minha noite lutei embalde com o anjo como Jacó, e sucumbi.-Quem sabe?-eis tudo o que há no meu entendimento. ÀS vezes creio, espero: ajoelho-me banhado de pranto, e oro;-outras vezes não creio, e sinto o mundo objetivo vazio como um túmulo.

Penseroso: Vê-o mundo é belo. A natureza estende nas noites estreladas o seu véu mágico sobre a terra, e os encantos da criação falam ao homem de poesia e de Deus. As noites, o sol, o luar, as flores, as nuvens da manhã. O sorriso da infância,