Página:Obras de Manoel Antonio Alvares de Azevedo v3.djvu/59

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Já da morte o palor me cobre o rosto,
Nos lábios meus o alento desfalece,
Surda agonia o coração fenece,
E devora meu ser mortal desgosto!
 
Do leito embalde no macio encosto
Tento o sono reter!... já esmorece
O corpo exausto que o repouso esquece...
Eis o estado em que a mágoa me tem posto!
 
O adeus, o teu adeus, minha saudade,