Página:Obras de Manoel Antonio Alvares de Azevedo v3.djvu/99

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Teus negros olhos uma vez fitando
Senti que luz mais branda os acendia,
Pálida de langor, eu vi, te olhando,
Mulher do meu amor, meu serafim,
Esse amor que em teus olhos refletia...
Talvez! — era por mim?
 
Pendeste, suspirando, a face pura,
Morreu nos lábios teus um ai perdido...
Tão ébrio de paixão e de ventura!
Mulher de meu amor, meu serafim,