Página:Poesias eroticas, burlescas e satyricas.djvu/11

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


RIBEIRADA


POEMA EM UM SÓ CANTO



argumento

Quando o preto Ribeiro entregue ao somno
Jazia, lhe apparece o deus Priapo;
E com uma das mãos por ser fanchono,
Lhe agarra na cabeça do marsapo;
Off'rece-lhe depois um bello cono,
Cono sem cavallete, gordo e guapo;
Casa o preto, e a mulher, por fim de contas,
Lhe põe na testa retorcidas pontas.