Página:Poesias eroticas, burlescas e satyricas.djvu/176

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
172
notas


mente a corresponder-lhe, pleiteando elle com ancia os seus favores. O que parece fóra de duvida é que d′aqui lhe proveio em parte a sua desgraça: pois que chegando esta satyra ás mãos de D. Frederico, este se julgou altamente offendido na pessoa da sua bella, e irritado contra o poeta o mandou incontinente deportado para Macau, d′onde a muito custo pôde obter licença e meios de transportar-se a Lisboa.

Do poema «Manteigui» temos visto tres ou quatro edições diversas; todas feitas, ao que parece, em Lisboa. Não nos ligamos a alguma em particular, mas aproveitamos de todas as variantes que offereciam visos de mais correctas, confrontando-as sempre com os manuscriptos que possuiamos, e preferindo em todos os casos o que se nos afigurava por mais exacto, e conforme ao texto original.


PAG. 29 — A EMPREZA NOCTURNA


Esta peça, mais conhecida sob a denominação de «Noite de inverno» e já por vezes impressa, tem sido quasi universalmente attribuida a Bocage; pareceu portanto que não devia omittir-se na presente edição. Devemos porém declarar aos leitores, que segundo o testemunho de pessoas mui auctorisadas, ella não é obra do nosso poeta, e sim do seu contemporaneo e amigo