Página:Poesias eroticas, burlescas e satyricas.djvu/226

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
222
notas


denunciado ao Intendente Geral da Policia por Pedro Alexandre Cavroé, deu logar á reclusão do poeta por alguns dias na cadeia do Limoeiro; e poderia ter peores consequencias, se não interviessem os rogos e empenhos de alguns amigos, que se interessaram por elle para, com o Intendente. Enfermidades geradas pelos excessos venereos a que se dava, sem escolha nem reserva, o levaram a um estado valetudinario, atrophiando-lhe as faculdades, e tornando-o incapaz de toda a applicação. Victima de seus desregramentos, falleceu antes de completar quarenta annos de edade.

Entre as poucas composiçães suas, que se imprimiram, ha um soneto, que por engano foi inserido como de Bocage, pelo editor do 4.º tomo das obras poeticas d′este poeta, que sahiu à luz em 1812; posto que, mais bem aconselhado, o mesmo editor o expungisse depois na segunda edição do referido volume feita em 1820. Cremos que os leitores não desgostarão de aqui o verem, pois que n′outra parte se não encontra.


SONETO


Para illudir o suspirado encanto,
Por quem debalde ha longo tempo ardia,
« Um ninho achei, oh Lesbia (eu lhe dizia)
« Como é dos pães dilicioso o canto!»