Página:Varias poesias de Paulo Gonçalvez d'Andrada.pdf/159

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Varias Poeſias,


VII.

ESte imperio, Senhor, que dilatado,
Os berços, & o ſepulcro, vè do dia,
Remotos fins da fabrica do mundo;
A vida deue a quem no campo armado
Vida lhe deu com o ſangue, que vertia,
Primeiro Affonſo, & Marte não ſegundos
Ià com ſaber profundo,
Quãdo cõ ſangue não, nas mãos da morte,
Outro Affonſo lhe dà ſegunda vida,
Quando ao ridor da forte
A calidade intrepida abatida,
O brio natural, de que ſe armaua
A vontade dos fados inclinaua;
D’alto poder effeito conueniente,
Que ſe hũ Affonſo o fũdou, q̇ outro o ſuſtete.

Ia