Página:Yayá Garcia.djvu/8

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Luís Garcia transpunha a soleira da porta, para sair, quando apareceu um criado e lhe entregou esta carta:

"5 de outubro de 1866.

"Sr. Luís Garcia — Peço-lhe o favor de vir falar-me hoje, de uma a duas horas da tarde. Preciso de seus conselhos, e talvez de seus obséquios. — Valéria".

— Diga que irei. A senhora está cá no morro?

— Não, senhor, está na rua dos Inválidos?

Luís Garcia era funcionário público. Desde 1860 elegera no lugar menos povoado de Santa Teresa uma habitação modesta, onde se meteu a si e a sua viuvez. Não era frade, mas queria como eles a solidão e o sossego. A solidão não