Palestra e Ginásio

Wikisource, a biblioteca livre
Ir para: navegação, pesquisa
Palestra e Ginásio
por Geraldo Lapenda
Escrito em 14 de janeiro de 1953 e publicado originalmente em Diário de Pernambuco, em 08 de fevereiro de 1953.


Eis duas palavras que se afastaram muito do sentido etimológico. Antes eram sinônimas, hoje pouca aproximação têm no seu significado.
Etimologicamente palestra (do grego palaistra) significa o lugar do exercício de luta corporal. Provém da raiz indo-européia pal que significa torcer, curvar, donde temos no grego di-plos, no latim du-plus, no inglês fold, two-fold. (Convém notar que a um p inicial no grego e latim corresponde f no inglês). Cognata a essa existe a raiz plek, onde o grego pléko (entrançar) e o latim plectere, complexus, duplex, etc.
Da primitiva raiz pal que também significou lutar, dobrar o inimigo abraçando-o, abatê-lo se originam em grego as palavras pále (luta), polemós (combate, batalha). Daí polêmica em português. Ora pále vem do tema pala: este recebendo o sufixo is, deturpação de id, formou o verbo palaío (palaíso: queda do sigma intervocálico) que significa lutar corporalmente.
Temos pois agora um novo tema palais, a que se podem acrescentar vários outros sufixos, como por exemplo sis (indicando ação), mal (indicando ação e também efeito de ação), etc. Assim temos pálaisis (luta), pálaisma (luta, esforços, golpes de luta).
Há também o sufixo tra, cognato de terion (Cfr. dikastérion, tribunal; etc) que significa lugar. Daí fácil é conclui que palaistra é o lugar da luta corporal. Realmente os Gregos assim denominavam o lugar de exercícios de luta corporal ou mesmo outros exercícios corporais, e denominavam igualmente a própria arte de lutar e os próprios exercícios.
Mas nós muitas vezes nos servimos de coisas corporais para designar as espirituais. Houve pois uma metáfora e a palavra palaistra passou a significar também o exercício intelectual e moral, e ao mesmo tempo a escola, a academia. Significou depois a conversa como exercício mental e por fim qualquer conversar. Podemos verificar isso principalmente por meio do latim, do qual a herdamos diretamente. Cícero a emprega com o sentido, não só etimológico, mas ainda o de escola, academia, escola de eloqüência (Cfr. De oratore I, 98) e até o de cultura, letras e lições.
E assim hoje, se recorrermos a um dicionário português, veremos registrada a palavra palestra com o sentido atual de conversa, discussão ligeira, etc., e com o antigo de local para exercícios ginásticos.
Mas agora vejamos a palavra ginásio. Também se deriva do grego, de gymnásion. Esta igualmente significava os exercícios do corpo, o lugar para os exercícios,e também a escola Origina-se do verbo gymnazo (exercitar-se, fazer exercícios ginásticos) e este por sua vez tem sua origem em gymnás (tema gymnad) que quer dizer ágil, exercitado, atleta.
Muitos que conhecem alguma "tintura" do grego, pensam que se relaciona com o tema gynaiko (mulher), mas em nada lhe diz respeito. A palavra gymnás é também sinônima de gymnós (nu, despojado, inerme, desarmado).
Pode ser que a origem de gymnásion se baseie no conceito de nudez (gymnós), porque os lutadores contendiam nus, mas ainda pode ser porque gymnós, significando também desarmado, a luta com que se exercitavam era sem armas.
Gymnásion teve alterações semânticas, até certo ponto, análogas a palaistra, pois significou também o lugar dos exercícios intelectuais e morais, a escola, etc. Mas o adjetivo dela derivado, e depois substantivado, conservou o sentido à base do primitivo. Assim temos “ginástica”.
Não são de se estranhar tais mudanças: os Gregos, enquanto procuravam educar a mente, não se descuidavam do corpo. A escola exercitava ao mesmo tempo os alunos, tanto intelectual como corporalmente. Seguiam o princípio por que hoje nos guiamos: “mens sana in corpore sano”. Por isso os Gregos se interessavam pelos exercícios corporais: havia a palaistra e o gymnásion. A primeira não era pública: era privada e mantida pelos próprios mestres. O segundo era público e destinado aos jovens e aos adultos, e além disso não era somente o lugar para os exercícios ginásticos: nele havia banhos, estádios e salas em que se reuniam e conversavam homens maduros, filósofos, etc. Os rapazes participavam de corridas, saltos, lutas, arremessos de discos e dardos, etc.
Em conclusão, ginásio e palestra eram sinônimos: hoje talvez sejam antônimos porque durante as aulas no ginásio não se pode palestrar.