Para defender a pátria

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Para defender a pátria
por Frei Caneca


Para defender a pátria
Menino homem se faz,
Em dando a vida por ela;
Morrendo, não peno mais.

De que me serve viver
Entre suspiros e ais?
Se vivo, vivo penando;
Morrendo, não peno mais.

Inda que eu queira, não posso
Existir entre os mortais.
A morte serve de alívio;
Morrendo, não peno mais.

Oh! morte, por que não vens
Findar meus dias fatais?
Se vivo, vivo penando;
Morrendo, não peno mais.