Poemas e Canções (Vicente de Carvalho, 1917)/Sonetos/III

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Enganei-me supondo que, de altiva..
por Vicente de Carvalho
Poema publicado em Poemas e Canções


Enganei-me supondo que, de altiva,
Desdenhosa, tu vias sem receio
Desabrochar de um simples galanteio
A agreste flor desta paixão tão viva.

Era segredo teu? Adivinhei-o;
Hoje sei tudo: alerta, em defensiva,
O coração que eu tento e se me esquiva
Treme, treme de susto no teu seio.

Errou quem disse que as paixões são cegas;
Vêem... Deixam-se ver... Debalde insistes;
Que mais defendes, se tu'alma entregas?

Bem vejo (vejo-o nos teus olhos tristes)
Que tu, negando o amor que em vão me negas,
Mais a ti mesma do que a mim resistes.