Poemas e Canções (Vicente de Carvalho, 1917)/Velho tema/V

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Alma serena e casta, que eu persigo...
por Vicente de Carvalho
Poema publicado em Poemas e Canções

"Alma serena e casta, que eu persigo
Com o meu sonho de amor e de pecado,
Abençoado seja, abençoado
O vigor que te salva e é meu castigo.

Assim desvies sempre do meu lado
Os teus olhos; nem ouças o que eu digo;
E assim possa morrer, morrer comigo
Este amor criminoso e condenado.

Sê sempre pura! Eu com denodo enjeito
Uma ventura obtida com teu dano,
Bem meu que de teus males fosse feito".

Assim penso, assim quero, assim me engano...
Como se não sentisse que em meu peito
Pulsa o covarde coração humano.