Poys soes tam sem piadade

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Poys soes tam sem piadade
por João de Meneses
Cantiga publicada em 1516 no Cancioneiro Geral de Garcia de Resende.


Poys soes tam sem piadade,
qu’em meu mal levaes tal glorea,
ja nam quero moor vitorea
que vençer minha vontade.

Nam da pena, nem prazer,
bem, nem mal, que me façaes;
folguo menos de vos ver,
do que vos a my folgays.
Faz me algũa saudade
vyrem cousas aa memorea
que passey; mas na verdade
nam me dam pena, nem glorea.