Quem vos vê sem tropeços de inconstante

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Quem vos vê sem tropeços de inconstante
por Manuel Botelho de Oliveira


Ao general João Correia de Sá
vindo da Índia

Quem vos vê sem tropeços de inconstante,
Quem vos trata sem notas de invejoso,
Vos rende o coração por amoroso,
Vos tributa a vontade por amante.

Na Plaga Oriental será constante
A fama em vosso nome generoso;
Que são vossas empresas, Sá famoso,
Melhores asas a seu vôo errante.

Entre o laço de afável senhorio
Correia sois enfim, que a quem vos ama,
A vontade lhe atais, sem ter desvio.

Sá sois: e quando o Mundo vos aclama,
Preservais com o sal de vosso brio
Da corrupção dos tempos vossa fama.