Quero Bem à Mulatinha

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Quero Bem à Mulatinha
coletado por Sílvio Romero
Publicado em Cantos populares do Brasil. (Sergipe)

Quero bem à mulatinha
Por ser muito de meu gosto;
Se os parentes se anojarem,
Um valente topa outro.
Pelo feixe da espingarda,
Pelo cano que ela tem,
Pelo fio de minha espada,
Que não enjeito a ninguém.
Se puxar por minha espada
Na beirinha da lagoa,
Se acaso fico perdido,
Seja por cousinha boa.
Rompo chuvas e trovões,
Coriscos, e criminoso
Ando no mundo, queixoso
Sem de mim se falar nada!...
Hei de amar a mulatinha
Pelo feixe da espingarda.
Viva Santana e Maria,
E S. Joaquim neste dia;
Deus quando subiu pra guia
Deixou para valimento
O testemunho da gente.
Para amparo dos cristãos
Viva Santana e Maria.