Santos Óleos (grafia original)

Wikisource, a biblioteca livre

Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Santos Óleos
por Cruz e Sousa
Poema agrupado posteriormente e publicado em Ultimos Sonetos (1905).
Texto com ortografia atualizada disponível em Santos Óleos (grafia atualizada).



Com os santos óleos de que vens ungido
Podes andar no mundo sem receio.
Quem veio para a Luz, por certo veio
Para ser valoroso e ser temido.

       5Que tudo é embalde, tudo em vão, perdido,
Quando se traz esse divino anceio,
Esse doce transpórte ou doce enleio,
Que deixa tudo e tudo confundido.


A Alma que como a véla chêga ao porto
       10Sente o melhor consolador conforto
E a aza nas azas dos Archanjos tóca .. ,

Os santos óleos são a luz guiadôra,
Que vigia por ti na peccadôra
Terra e o teu mundo celestial evóca!