Sasenta brancos na palma

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Sasenta brancos na palma
por Fernão da Silveira, coudel-mor
Poema publicado em 1516 no Cancioneiro Geral de Garcia de Resende.


Do coudel moor a rruy de sousa com hũa carta de seguro em que pagou por elle sasenta e nove rreaes.

Sasenta brancos, na palma
postos com tres vezes tres,
fez de custos, que me pes,
os quaes ja dou por minh'alma.
Nem quero ter esperança
que omem vosso mos tragua
avey-vos a segurança
e mao grado a quem na pagua.