Sempre o Sonho

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Sempre o Sonho
por Cruz e Sousa
Poema agrupado posteriormente e publicado em Últimos Sonetos

Para encantar os círculos da Vida
Ë sre tranqüilo, sonhador, confiante,
Sempre trazer o coração radiante
Como um rio e rosais junto de ermida.

Beber na vinha celestial, garrida
Das estrelas o vinho flamejante
E caminhar vitorioso e ovante
Como um deus, com a cabeça enflorescida.

Sorrir, amar para alargar os mundos
Do Sentimento e para ter profundos
Momentos de momentos soberanos.

Para sentir em torno à terra ondeando
Um sonho, sempre um sonho além rolando
Vagas e vagas de imortais oceanos.