Siderações (1893)

Wikisource, a biblioteca livre

Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Para as Estrellas de crystaes gelados
As ancias e os desejos vão subindo,
Galgando azues e sideraes noivados
De nuvens brancas a amplidião vestindo...

N'um cortejo de canticos alados
Os archanjos, as cytharas ferindo,
Passam, das vestes nos trophéus prateados,
As azas de ouro finamente abrindo...


Dos ethéreos thuribulos de neve
Claro incenso aromal, limpido e leve,
Ondas nevoentas de Visões levauta...

E as aneias e os desejos infinitos
Vão com os archanjos formulando ritos
Da Eternidade que nos Astros canta...