Sinhá

Wikisource, a biblioteca livre
(Redirecionado de Sinhá (1864))
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Sinhá
por Machado de Assis
Poema publicado em Chrysalidas (1864)
(N'um album. — 1862.)


O teu nome é como o oleo derramado.
Salomão. — Cantico dos Canticos.



Nem o perfume que espira
A flor, pela tarde amena,
Nem a nota que suspira
Canto de saudade e pena
Nas brandas cordas da lyra;
Nem o murmurio da veia
Que abrio sulco pelo chão

Entre margens de alva arêa,
Onde se mira e recreia
Rosa fechada em botão;

Nem o arrulho enternecido
Das pombas, nem do arvoredo
Esse amoroso arruido
Quando escuta algum segredo
Pela brisa repetido;
Nem esta saudade pura
Do canto do sabiá
Escondido na espessura,
Nada respira doçura
Como o teu nome, Sinhá!