Sob a mantilha

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Sob a mantilha
por Luís Delfino
Publicada em Rosas Negras.


A Oscar Rosas

Uma senhora firme, alta, delgada,
Sob as dobras da sarja da mantilha,
Nas modas de Istambul ou de Sevilha,
Ia à igreja ouvir missa à madrugada.
 
Com todo o encanto que me dava, brilha
Mesmo nesta hora a sedutora fada:
Não tinha este país mais doce filha,
Nem nosso céu estrela mais doirada.
 
Era uma santa, oh! era uma rainha!
Deixando o altar o padre com voz lenta
A saudava, ao sair, dobrando a espinha.
 
Pois era minha avó com os seus noventa...
E inda hoje vejo a esplêndida velhinha
Na auréola que tão bem a um justo assenta...