Telegrama de Euclides da Cunha de 21 de agosto de 1897 (I)

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
(Telegrama de Euclides da Cunha de 21 de agosto de 1897)
por Euclides da Cunha


Bahia, 21 de agosto (12h20)

Causa surpresa a volta inesperada da turma de estudantes de medicina que estava em Monte Santo

— Continuam a chegar feridos em estado lamentável, andrajosos, seminus, causando dolorosa impressão

Esperam-se ainda mais feridos.

— Organizam-se novas enfermarias. O comitê patriótico baiano é incansável nesta nobre missão em que é secundado por toda a população

— O ataque de Pombal indica que os jagunços estão famintos e procuram os recursos que lhes falecem de todo

No assalto à brigada Girard o tiroteio foi insignificante.

— Aguarda-se dentro de quinze dias o desenlace da luta.

— Partiremos em um dos próximos dias para Queimadas e de lá para Monte Santo

— Os oficiais recém-vindos declaram que o estado das forças em Canudos é animador, embora estejam pouco melhoradas as condições de alimentação, ainda escassa, sendo esgotados todos os comboios que chegam.

— Continua a haver grande divergência nas opiniões acerca dos assuntos da campanha, o que dificulta um juízo seguro

A maioria aqui acredita que está próximo o termo da luta.