Vão arrebatamento (grafia original)

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Vão arrebatamento
por Cruz e Sousa
Poema agrupado posteriormente e publicado em Ultimos Sonetos (1905).
Texto com ortografia atualizada disponível em Vão arrebatamento.



Partes um dia das Curiosidades
Do teu ser singular, partes em busca
De almas irmãs, cujo esplendor offusca
As celestes, divinas claridades.

       5Rasgas terras e céus, immensidades,
Dos perigos da Vida a vaga brusca,
Queima-te o sol que na Amplidão corusca
E consóla-te a lua das saudades.


Andas por toda a parte, em toda a parte
       10A seducção das almas a fallar-te,
Como da Terra luminosos marcos.

E a sorrir e gemer e soluçando
Ah! sempre em busca de almas vaes andando,
Mas em vez d'ellas encontrando charcos!