Dom Quixote

Wikisource, a biblioteca livre
Ir para: navegação, pesquisa
Dom Quixote
por Miguel de Cervantes
Título original: El ingenioso Hidalgo Don Quijote de la Mancha

Tradução de Conde de Azevedo e António Feliciano de Castilho. Digitalização e ortografia "abrasileirada" por eBooksBrasil.org a partir dos volumes VIII e IX da coleção Clássicos Jackson.

Existe na Wikipédia um artigo relacionado com Dom Quixote.

Volume I[editar]

Quijote2.png
  1. Que trata da condição e exercício do famoso fidalgo D. Quixote de La Mancha.
  2. Que trata da primeira saída que de sua terra fez o engenhoso D. Quixote.
  3. No qual se conta a graciosa maneira que teve D. Quixote em armar-se cavaleiro.
  4. Do que sucedeu ao nosso cavaleiro saindo da venda.
  5. Em que se prossegue a narrativa da desgraça do nosso cavaleiro.
  6. Da curiosa e grande escolha que o padre cura e o barbeiro fizeram na livraria do nosso engenhoso fidalgo.
  7. Da segunda saída do nosso bom cavaleiro D. Quixote de la Mancha.
  8. Do bom sucesso que teve o valoroso D. Quixote na espantosa e jamais imaginada aventura dos moinhos de vento, com outros sucessos dignos de feliz recordação.
  9. Em que se conclui a estupenda batalha que o galhardo biscaínho e o valente manchego tiveram.
  10. Graciosas práticas entre D. Quixote e seu escudeiro Sancho Pança.
  11. Do que a D. Quixote sucedeu com uns cabreiros.
  12. Do que referiu um cabreiro aos que estavam com D. Quixote.
  13. Em que se dá fim ao caso da pastora Marcela, com outros sucessos.
  14. Onde se põem os versos desesperados do pastor defunto, com outros imprevistos sucessos.
  15. Em que se conta a desgraçada aventura, que a D. Quixote ocorreu com uns desalmados iangueses.
  16. Do que sucedeu ao engenhoso fidalgo na venda que ele imaginava ser castelo.
  17. Em que se prosseguem os inumeráveis trabalhos, que o bravo D. Quixote e seu escudeiro Sancho Pança passaram na venda, que o fidalgo por seu mal cuidara ser castelo.
  18. Onde se contam as razões que passou Sancho Pança com seu senhor D. Quixote com outras aventuras dignas de ser contadas.
  19. Das discretas razões que Sancho passava com o amo e da aventura que lhes sucedeu com um defunto, e outros acontecimentos famosos.
  20. Da nunca vista nem ouvida aventura que jamais cavaleiro algum famoso no mundo acabou, e a concluiu, quase sem perigo, D. Quixote de la Mancha.
  21. Que trata da alta aventura e preciosa ganância do elmo de Mambrino, com outras coisas sucedidas ao nosso invencível cavaleiro.
  22. Da liberdade que D. Quixote deu a muitos desafortunados, que iam levados contra sua vontade onde eles por si não quereriam ir.
  23. Do que ao famoso D. Quixote sucedeu em Serra Morena, que foi uma das mais raras aventuras coutadas nesta verdadeira história.
  24. Em que se prossegue a aventura da Serra Morena.
  25. Que trata das estranhas coisas que em Serra Morena sucederam ao valente cavaleiro da Mancha, e da imitação que fez da penitência de Beltenebrós.
  26. Onde se prosseguem as finezas que de enamorado fez D. Quixote em Serra Morena.
  27. De como se houveram o cura e o barbeiro, com outras coisas dignas de ser contadas nesta grande história.
  28. Que trata da nova e agradável aventura sucedida na mesma serra ao cura e ao barbeiro.
  29. Que trata do gracioso artifício e ordem que se teve em tirar o nosso amorado cavaleiro da muito áspera penitência em que se havia posto.
  30. Que trata da discrição da formosa Dorotéia, com outras coisas de muito sabor e passatempo.
  31. Das saborosas conversações que houve entre D. Quixote e o seu escudeiro com outros sucessos.
  32. Que trata do que na venda sucedeu a todo o rancho de D. Quixote.
  33. Onde se conta a novela do curioso impertinente.
  34. Em que se prossegue a novela do curioso impertinente.
  35. Em que se trata da grande e descomunal batalha que teve D. Quixote com uns odres de vinho tinto, e se dá fim à novela do curioso impertinente.
  36. Que trata de outros sucessos raros que na taverna sucederam.
  37. No qual se prossegue com a história da famosa infanta de Micomicão, e de outras graciosas aventuras.
  38. Em que se continua o discurso que fez D. Quixote sobre as armas e as letras.
  39. Onde o cativo conta a sua vida e sucessos dela.
  40. No qual se conta a história do cativo.
  41. No qual o cativo continua a sua história.
  42. Em que se trata do mais que sucedeu na estalagem, e de outras coisas dignas de serem conhecidas.
  43. Onde se conta a agradável história do moço das mulas com outros estranhos sucessos acontecidos na venda.
  44. Onde se prosseguem os inauditos sucessos da venda.
  45. Onde se acaba de averiguar a dúvida do elmo de Mambrino e da albarba, e de outras aventuras sucedidas com toda a verdade.
  46. Da notável aventura dos quadrilheiros, e da grande ferocidade do nosso bom cavaleiro D. Quixote.
  47. Do modo estranho como foi encantado D. Quixote de la Mancha, com outros sucessos.
  48. Onde prossegue o cônego no assunto dos livros de cavalaria, com outras coisas dignas do seu engenho.
  49. Onde se trata do discreto colóquio que Sancho Pança teve com seu amo D. Quixote.
  50. Das discretas altercações que D. Quixote e o cônego tiveram, com outros sucessos.
  51. Que trata do que contou o cabreiro a todos os que levavam D. Quixote.
  52. Da pendência que teve D. Quixote com o cabreiro, com a rara aventura dos penitentes, a que felizmente deu fim à custa do seu suor.

Volume II[editar]

Quijote-2.jpg
  1. Do que passaram o cura e o barbeiro com D. Quixote acerca da sua enfermidade.
  2. Que trata da notável pendência, que Sancho Pança teve com a sobrinha e ama de D. Quixote, e de outros sucessos graciosos.
  3. Do divertido arrazoamento que houve entre D. Quixote, Sancho Pança e o bacharel Sansão Carrasco.
  4. Em que Sancho Pança satisfaz ao bacharel Carrasco, acerca das suas dúvidas e perguntas, com outros sucessos dignos de se saber e de se contar.
  5. Da discreta e graciosa prática que houve entre Sancho Pança e sua mulher Teresa Pança, e outros sucessos dignos de feliz recordação.
  6. Do que passou D. Quixote com a sua sobrinha e a sua ama, dos mais importantes desta história toda.
  7. Do que passou D. Quixote com o seu escudeiro, e outros sucessos famosíssimos.
  8. Onde se conta o qne sucedeu a D. Quixote, indo ver a sua dama Dulcinéia del Toboso.
  9. Onde se conta o que nele se verá.
  10. Onde se conta a indústria que Sancho teve para encantar a senhora Dulcinéia, e outros sucessos tão ridículos como verdadeiros.
  11. Da estranha aventura que sucedeu a D. Quixote com o carro ou carreta das cortes da morte.
  12. Da estranha aventura que sucedeu a D. Quixote com o bravo cavaleiro dos espelhos.
  13. Onde prossegue a aventura do cavaleiro da Selva, com o discreto, novo e suave colóquio que houve entre os dois escudeiros.
  14. Onde prossegue a aventura do cavaleiro da Selva.
  15. Onde se conta e dá notícia de quem era o cavaleiro dos Espelhos e o seu escudeiro.
  16. Do que sucedeu a D. Quixote com um discreto cavaleiro da Mancha.
  17. Onde se declara o último ponto a que chegou e podia chegar o inaudito ânimo de D. Quixote, com a aventura dos leões, tão felizmente acabada.
  18. Do que sucedeu a D. Quixote no castelo ou casa do cavaleiro do Verde Gabão, com outras coisas extravagantes.
  19. Onde se conta a aventura do pastor enamorado, com outros sucessos na verdade graciosos.
  20. Onde se contam as bodas de Camacho, o rico, e o sucesso de Basílio, o pobre.
  21. Em que prosseguem as bodas de Camacho, com outros saborosos sucessos.
  22. Onde se dá conta da grande aventura da cova de Montesinos, que está no coração da Mancha, e a que pôs feliz termo o valoroso D. Quixote.
  23. Das admiráveis coisas que o extremado D. Quixote contou que vira na profunda cova de Montesinos, coisas que, pela impossibilidade e grandeza, fazem que se considere apócrifa esta aventura.
  24. Onde se contam mil trapalhadas, tão impertinentes como necessárias ao verdadeiro entendimento desta grande história.
  25. Onde se conta a aventura dos zurros, e o gracioso caso do homem dos títeres, com as memoráveis adivinhações do macaco.
  26. Onde continua a graciosa aventura do homem dos títeres, com outras coisas na verdade boníssimas.
  27. Onde se dá conta de quem eram mestre Pedro e o seu macaco, e também do mau resultado que tirou D. Quixote da aventura do zurro, a que não pôs o termo que desejava e pensava.
  28. Das coisas que diz Benengeli, que saberá quem as ler, se as ler com atenção.
  29. Da famosa aventura do barco encantado.
  30. Do que sucedeu a D. Quixote com uma bela caçadora.
  31. Que trata de muitas e grandes coisas.
  32. Da resposta que deu D. Quixote ao seu repreensor, com outros graves e graciosos sucessos.
  33. Da saborosa prática que a duquesa e as suas donzelas tiveram com Sancho Pança, digna de que se leia e que se note.
  34. Que dá conta da notícia que se teve de como se havia de desencantar a incomparável Dulcinéia del Toboso, que é uma das aventuras mais famosas deste livro.
  35. Onde prossegue a notícia que teve D. Quixote, do desencantamento de Dulcinéia, com outros admiráveis sucessos.
  36. Onde se conta a estranha e nunca imaginada aventura de Dona Dolorida, aliás da condessa Trifaldi, com uma carta que Sancho Pança escreveu a sua mulher Teresa Pança.
  37. Onde prossegue a famosa aventura da Dona Dolorida.
  38. Onde se conta o que disse das suas desventuras a Dona Dolorida.
  39. Onde a Trifaldi prossegue na sua estupenda e memorável história.
  40. Das coisas que dizem respeito a esta aventura e a esta memorável história.
  41. Da vinda de Clavilenho, com o fim desta dilatada aventura.
  42. Dos conselhos que deu D. Quixote a Sancho Pança, antes de ele ir governar a ilha, com outras coisas bem consideradas.
  43. Dos segundos conselhos que deu D. Quixote a Sancho Pança.
  44. De como Sancho Pança foi levado para o governo, e da estranha aventura que sucedeu no castelo a D. Quixote.
  45. De como Sancho Pança tomou posse da sua ilha, e do modo como principiou a governá-la.
  46. Da temerosa chuva de gatos barulhentos que recebeu D. Quixote, no decurso dos amores da enamorada Altisidora.
  47. Onde prossegue a narração do modo como se portava Sancho Pança no seu governo.
  48. Do que sucedeu a D. Quixote com Dona Rodríguez, a dona da duquesa, com outros acontecimentos dignos de escritura e memória eterna.
  49. Do que sucedeu a Sancho Pança quando rondava a ilha.
  50. Onde se declara quem foram os nigromantes e verdugos que açoitaram a dona, beliscaram e arranharam D. Quixote, com o sucesso que teve o pajem que levou a carta a Teresa Pança, mulher de Sancho Pança.
  51. Do progresso do governo de Sancho Pança, com outros sucessos curiosos.
  52. Onde se conta a aventura da segunda Dona Dolorida ou Angustiada, chamada por outro nome Dona Rodríguez.
  53. Do cansado termo e remate que teve o governo de Sancho.
  54. Que trata de coisas tocantes a esta história, e a nenhuma outra.
  55. De coisas sucedidas a Sancho, e outras que não há mais que ver.
  56. Da descomunal e nunca vista batalha que houve entre D. Quixote de la Mancha e o lacaio Tosilos, em defesa da filha da dona da duquesa, Dona Rodríguez.
  57. Que trata de como D. Quixote se despediu do duque, e do que sucedeu com a discreta e desenvolta Altisidora, donzela da duquesa.
  58. Que trata de como choveram em cima de D. Quixote tantas aventuras, que não tinha vagar para todas.
  59. Onde se conta o extraordinário caso, que se pode chamar aventura, que aconteceu a D. Quixote.
  60. Do que sucedeu a D. Quixote no caminho de Barcelona.
  61. Do que sucedeu a D. Quixote na entrada de Barcelona, com outras coisas que têm mais de verdadeiras que de discretas.
  62. Que trata da aventura da cabeça encantada, com outras ninharias que não podem deixar de se contar.
  63. De como Sancho Pança se deu mal com a visita às galés e da nova aventura da formosa mourisca.
  64. Que trata da aventura que mais afligiu D. Quixote de todas quantas até então lhe tinham acontecido.
  65. Em que se dá notícia de quem era o cavaleiro da Branca Lua, com a liberdade de D. Gregório e outros sucessos.
  66. Que trata do que verá quem o ler, ou do que ouvirá quem o ouvir ler.
  67. Da resolução que tomou D. Quixote de se fazer pastor e seguir a vida do campo, durante o ano da sua promessa, com outros sucessos, na verdade gosotosos e bons.
  68. Da aventura suína que aconteceu a D. Quixote.
  69. Do mais raro e mais novo sucesso, que em todo o decurso desta grande história aconteceu a D. Quixote.
  70. Que se segue ao sessenta e nove e trata de coisas que não são escusadas para a clareza desta história.
  71. Do que sucedeu a D. Quixote com o seu escudeiro Sancho, quando ia para a sua aldeia.
  72. De como D. Quixote e Sancho chegaram à sua aldeia.
  73. Dos agouros que teve D. Quixote ao entrar na sua aldeia, com outros sucessos que são adorno e crédito desta grande história.
  74. De como D. Quixote adoeceu, e do testamento que fez, e da sua morte.