Ó meu coração torna para traz

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ó meu coração torna para traz
por Camilo Pessanha
Poema publicado em Clepsydra

Ó meu coração torna para traz
D'onde vaes a correr, desatinado?
Meus olhos incendidos que o peccado
Queimou... Voltae horas de paz.

Vergam da neve os olmos dos caminhos,
A cinza arrefeceu sobre o brazido.
Noites da serra, o casebre transido...
—Scismae meus olhos como dois velhinhos...

Extìnctas primaveras evocae-as:
—Já vae florir o pomar das maceiras,
Hemos de enfeitar os chapeus de maias—

Socegae, esfriae, olhos febrís.
—E hemos de ir cantar nas derradeiras
Ladainhas... Doces vozes senís...—