Ah, toca suavemente

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ah, toca suavemente
por Fernando Pessoa


Ah, toca suavemente
Como a quem vai chorar
Qualquer canção tecida
De artifício e de luar —
Nada que faça lembrar
                A vida.

Prelúdio de cortesias,
Ou sorriso que passou...
Jardim longínquo e frio...
E na alma de quem o achou
Só o eco absurdo do voo
                Vazio.