Amigo capitão forte, e guerreiro

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ao capitão Francisco Moniz de Souza correndo na festa das virgens com Garboza Fortaleza.
por Gregório de Matos
Poema agrupado posteriormente e publicado em Crônica do Viver Baiano SeiscentistaOs Homens BonsEspada e Espadilha

Amigo capitão forte, e guerreiro,
Sempre vos observei no pensamento
Por homem de grandíssimo talento,
Mas dunca por tão grande cavaleiro.
  
Quando vos vi na festa do Terreiro
Torreão cavalgado sobre o vento,
Onde irá parar (disse) este portento,
Senão na admiração do povo inteiro,
  
Dito, e feito; porque vos aplaudiram
De tal modo os Mirões daquela praça,
Que de vos dar um gabo me excluíram.
  
Mas se os Céus vos formaram de tal traça,
Que de prendas tão nobres vos urdiram,
Eu me dou por contente em vossa graça.